R$41,40

R$28,00

2x de R$15,30
2% de desconto pagando com Pix Ver meios de pagamento
Entregas para o CEP: Alterar CEP
Meios de envio
Descrição
O ESTADO E O PODER DA ESPADA 
 
A Escritura possui princípios interessantes no que se refere à aplicação efetiva de penas. A história de Israel, naquela época uma nação basicamente rural tem muito a nos ensinar. A palavra-chave para os princípios bíblicos que norteiam a aplicabilidade de penas é da “restituição” ou “retribuição”. Esse princípio visava à proteção das vítimas e ao mesmo tempo colocar temor nos malfeitores, mostrando claramente que o crime não era algo compensador. A lei tornava o crime uma atividade não lucrativa. O peso econômico sobre o infrator era muito grande. No livro de Êxodo, lemos, por exemplo: “Se alguém furtar boi ou ovelha e o abater ou vender, por um boi pagará cinco bois, e quatro ovelhas por uma ovelha” (Êx 22.1). E ainda: “Se aquilo que roubou for achado vivo em seu poder, seja boi, jumento ou ovelha, pagará o dobro” (Êx 22.4). Mesmo quando o roubo era para saciar a fome, persistia o princípio da restituição, muito embora, neste caso o indivíduo fosse tratado com clemência (Pv 6.30,31). Então percebam que o princípio de retribuição era proporcional ao crime cometido. Levítico 24.21 diz: “Quem matar um animal restituirá outro; quem matar um homem será morto”. Ao consideramos o que a Bíblia diz sobre este assunto, claramente percebemos que a pena capital não é nenhum capricho da mente humana, mas uma ordem divina que expressa a sua justiça ao punir com a morte a afronta feita contra Sua imagem gravada no ser humano. Como o Estado deve agir como “ministro de Deus” e como essa justiça deve ser aplicada é o que veremos nesse breve estudo.
 
 
PESO 0.240 kg
DIMENSÕES 14 × 1 × 21 cm
LIVRO FÍSICO Capa mole
NÚMERO DE PÁGINAS 80
 
Os Dois Reinos E A Aplicação Civil Das Duas Tábuas Da Lei - João Calvino
 
Muito foi escrito no passado sobre João Calvino e suas opiniões sobre o relacionamento do Magistrado Civil com a Igreja. Muitos têm tentado apresentar uma visão de Calvino que seria oposta ao uso da lei e aos deveres do Magistrado Cristão como apresentados na Confissão de Westminster [original] . No entanto, acredito que muito disso se deve à infeliz falta de disponibilidade da teologia mais desenvolvida de Calvino sobre a lei e o magistrado civil que é encontrada em seus sermões sobre Deuteronômio, pregados muito mais tarde em sua vida. Como você verá nas numerosas seleções dos escritos de Calvino coletadas neste livro, o ensino consistente do trabalho volumoso de sua vida nos leva à conclusão inevitável de que ele acreditava, como a Assembleia de Westminster defendia, que as Escrituras ensinam tanto a Igreja como o Estado estão sob a autoridade de Deus e que eles são governados separadamente, mas com responsabilidades ordenadas por Deus de um para o outro.
 
 
PESO 0.115 kg
DIMENSÕES 10 × 1 × 15 cm
LIVRO FÍSICO Capa mole
NÚMERO DE PÁGINAS 114